Fortalecimento da cadeia do cacau

O cacau e o chocolate produzidos com respeito ao meio ambiente podem impulsionar o desenvolvimento do sul da Bahia. Fazemos parte de um movimento crescente na região para fortalecer essa cadeia produtiva e revitalizar a “cabruca”, o cacau da Mata Atlântica.

Trabalhamos com lideranças e instituições de todos os setores na criação de objetivos e iniciativas comuns. Fomentamos políticas públicas de incentivo ao setor e participamos de fóruns setoriais e da academia.

Consórcio dos Produtores

O Arapyaú tem como uma de suas missões fortalecer e dinamizar a cadeia do cacau no sul da Bahia. Um dos projetos desenvolvidos para isso é o do Consórcio de Produtores. A iniciativa piloto surge prioritariamente com o objetivo de estimular a mobilização coletiva entre os produtores, visando a incentivar o espírito de cooperação, e prospectar abertura de novos mercados (fino/premium) para agregar valor ao cacau cabruca. Acreditamos que no futuro muitos outros produtores, pequenos e médios, poderão ter acesso as oportunidades que virão para região cacaueira.

Modelagem Econômica da Cabruca

Com o compromisso de fortalecer a Cadeia do Cacau como vetor para o desenvolvimento socioeconômico sustentável do sul da Bahia, o Arapyaú atua na produção de conhecimento com organizações parceiras. E a modelagem econômica de produção do cacau na cabruca é um dos focos. O estudo tem como finalidade aprofundar o conhecimento de investimento sobre esse sistema de produção que é importantíssimo para a conservação dos ativos ambientais da região e orientar o produtor na gestão da sua propriedade rural.

Articulamos a criação de um consórcio de produtores que buscam acessar novos mercados e consolidar a reputação do cacau do sul da Bahia no Brasil e no exterior. E participamos da criação de iniciativas como o Centro de Inovação do Cacau, que apoia produtores na análise da matéria-prima e dissemina conhecimento sobre o cacau e o chocolate de qualidade.

Por três gerações produzimos cacau commodity. Agora melhoramos a qualidade e fornecemos para o mercado de chocolate. Integramos um consórcio que busca mercados premium no Brasil e no exterior. Levamos não só o nosso cacau, mas também a nossa história e a Mata Atlântica.”

Lucas Arléo, produtor da Fazenda Santa Rita, em Ilhéus.